Estudo BrandZ revela o valor das marcas na América Latina

Em 2017, as 50 marcas mais valiosas da América Latina foram avaliadas em U$103,4 bilhões, de acordo com o estudo BrandZ Top 50 LatAm Brands 2017, da Kantar Millward Brown. O contexto econômico, contudo, fez com que o conjunto das marcas perdessem 22% de seu valor em relação a 2015, quando a última versão do estudo foi lançada. Há dois anos, o valor das marcas latino-americanas era de U$131,9 bilhões.

A marca mais valiosa: A Skol foi a mais valiosa da região pelo segundo ano consecutivo, avaliada em U$ 7,78 bilhões.

Já no top 50 figuram empresas brasileiras como Claro, Bradesco, Itaú, Latam, Sadia, Bohemia, Natura e Ipiranga que já apareciam nas edições anteriores do estudo. Entre as novas brasileiras no ranking aparecem a Cielo, na 47ª posição e a Petrobras, no 49º lugar.
De todas as marcas latino-americanas, as que apresentaram maior crescimento em relação a 2015 foram Drogasil e Drogaraia, que aumentaram em 67% seu valor de mercado.

Por que advogados ainda não fazem marketing jurídico?

Tempo de leitura: 4:40 min

Atuo com marketing jurídico e conheço pessoalmente muitos advogados de escritórios de diferentes portes e digo com propriedade que muitos têm receio ou desconhecimento de como posicionar suas marcas (sim, escritórios de advocacia são negócios e devem ser tratados como marca).

Desconhecimento ou medo não são motivos, no entanto, para não diferenciar a sua imagem e marca para seu mercado-alvo, direcionando seus esforços mercadológicos para clientes atuais e potenciais novos clientes.

Reconheço que estar avesso ao investimento em marketing jurídico é um comportamento absolutamente compreensível e passageiro, face a não conhecer todo o potencial e as oportunidades que o marketing institucional pode vir a proporcionar para o negócio da advocacia.

Então vou ilustrar neste artigo algumas possibilidades para esclarecer como o marketing jurídico é uma ferramenta decisiva para criar elemento de diferenciação e atração para o seu escritório:

Sua imagem corporativa: O posicionamento

Todos os pontos de contato que clientes e potenciais clientes têm com a sua marca formam na cabeça deste público uma imagem sobre seu negócio.

A qualidade do seu website, com conteúdo e aparência profissionais, sua logomarca, seu cartão de visitas, sua papelaria, o painel com o nome do escritório na sua recepção, as dependências internas (especialmente locais por onde clientes circulam), seus comunicados impressos e/ou digitais, os eventos dos quais os sócios participam, suas redes sociais e seus conteúdos atualizados ou totalmente desatualizados, a geração de artigos relevantes em suas áreas de atuação, o envolvimento com a comunidade acadêmica, a aquisição, formação e gerenciamento de talentos do seu escritório, a assessoria de imprensa, sua proposta de trabalho e honorários, enfim, todos os pontos de contato com a empresa formam esse posicionamento de mercado.

Você parou para verificar se seus elementos de marca citados acima refletem a imagem que você gostaria de posicionar no mercado? Faça um diagnóstico rápido para saber que muitas vezes, sejamos sinceros, deixa-se a desejar.

Mas calma, um diagnóstico estratégico consegue modificar absolutamente a forma e os caminhos a serem percorridos para projetar a imagem desejada. Com estratégia e muito trabalho, sua imagem corporativa irá refletir a altura e ambição pretendidas pelo seu escritório.

Relacionamento com cliente: Sempre ser lembrado.

Se você só fala com o cliente na entrega dos seus serviços, ou quando está mandando propostas de honorários, está perdendo uma boa chance de se comunicar em muitos outros momentos que podem compor uma percepção positiva sobre o seu escritório.

Existem muitas formas de se relacionar com seus clientes: workshops, cafés-da-manhã, newsletters, participação em eventos, reuniões de acompanhamento de trabalhos, discussões sobre estudos de casos, posts nas redes sociais, entre outros.

Criar uma estratégia de conteúdo e um programa efetivo de relacionamento com clientes alinhados aos objetivos institucionais e de negócios do escritório trazem efetiva melhora na percepção de qualidade e de autoridade do seu escritório em suas áreas de atuação.

Novos clientes: Crescer é sempre bem-vindo!

A pergunta que não quer calar é: como atraio clientes que nem sequer ouviram falar do meu escritório?

Uma das formas pertinentes e aprovadas pela OAB é a comunicação mercadológica digital: o estatuto da OAB é claro com relação ao que pode e ao que não pode; mas para não me alongar, é preciso entender que publicidade de escritórios de advocacia é perfeitamente lícita e ética, e deve atender a limites e princípios estabelecidos pela OAB.

Ter o domínio sobre o que é permitido faz total diferença para impulsionar seus negócios de maneira ética e eficaz, levando a conhecimento de novos públicos o perfil de seu escritório e ramos de atuação. É claro que aqui não estamos falando de publicidade ostensiva e sim, focada em públicos de interesse e direcionadas conforme os objetivos estratégicos estabelecidos. Existem formas de se levar a conhecimento seu escritório a novos públicos sem custo ou de maneira paga, dependendo de quais ferramentas de marketing serão utilizadas.

Alguns exemplos efetivos são a assessoria de imprensa, relações públicas digitais, anúncios pagos em revistas especializadas na internet, anúncios pagos em ferramentas de busca, como o Google (aliás com excelentes resultados), anúncios pagos em redes sociais com alto poder de segmentação e direcionados para públicos-alvo tão específicos como CEOs de empresas, como o caso do Linkedin, e até utilizar a maior e mais influente rede social que é o Facebook, com o menor custo de impacto por milhares de pessoas na sua audiência-alvo.

Inbound marketing: quem pratica vê resultados

Eu sei que é quase um palavrão, mas inbound marketing, de maneira bastante resumida, trata-se de um conjunto de ações de marketing digital para atrair mais pessoas para seu site, convertê-los em contatos e trabalhar esses contatos para conhecer seu negócio e torná-los seu novo cliente.

O grande exemplo que damos no mercado é o seguinte: ao conhecer uma pessoa, você não a pede em casamento de cara. Você estabelece um primeiro encontro, fala um pouco de você, se interessa pela outra pessoa. Depois desse primeiro encontro, trocam telefone, email, whatsapp e partem para um relacionamento onde você lembra da pessoa em ocasiões que são interessantes para ela, mostra que você entende os anseios, problemas e felicidades daquela pessoa, até que, depois de um certo tempo, que pode ser breve ou mais longo, começam a namorar. E também dependendo da pressa, casam-se depois, quem sabe.

Com potenciais clientes no inbound também é assim: você estabelece uma relação de conhecimento e confiança, entende as particularidades daquele potencial cliente, e se relaciona com conteúdo digital relevante que faz a diferença no negócio dele.

Muitos novos negócios surgem como consequência desse trabalho de relacionamento do inbound marketing e tudo isso dentro das regras estabelecidas pela OAB.

O volume de tráfego ao seu site (visitas) muitas vezes cresce vertiginosamente e como consequência, traz resultados de negócios.

Por onde começar?

A atividade de marketing, assim como qualquer outra, exige conhecimento técnico, experiência e tempo de dedicação.

Muitas vezes não faz sentido (a não ser em grandes estruturas) ter um marketing interno nos escritórios de advocacia. Então, terceirizar essa atividade, que não é a atividade fim e muito menos a especialização dos profissionais de advocacia, pode ser uma alternativa rápida, acessível e com excelentes resultados de curto e médio prazos.

O marketing atual e suas ferramentas exigem grande expertise e dedicação constante para estar antenado com as mudanças e tendências; contar com um consultor externo certamente irá promover avanços imediatos que dificilmente seriam alcançados com pessoal não especializado e sem conhecimento de mercado para promover melhorias significativas de imagem para o seu escritório e para seus negócios.

Se você se identificou com essas possibilidades e quer entender como alavancar sua imagem e seus negócios, fale comigo. Terei grande prazer em ir até você para trocarmos essa experiência.

Bons negócios!

Fabiano Chiovatto

Radar do Marketing

fabiano@radardomarketing.com.br

Fabiano Chiovatto
tshirt 2euros

Fashion Revolution

Notícia amplamente coberta em todos os veículos de mídia tradicional e na mídia publicitária, o caso da Zara e as suspeitas de que seus fornecedores, oficinas de costura que prestam serviços à Zara no Brasil, estariam empregando profissionais em condições análogas ao trabalho escravo, voltaram à tona a discussão sob “bargain fashion”.

Na Europa, o movimento Fashion Revolution, presente em 71 países, realizou uma ação oferecendo a venda de camiseta a 2 euros, e as pessoas, ao tentarem comprar, eram surpreendidas com um vídeo bastante chocante.

Conscientizar a população é o objetivo, confira!

Por Fabiano Chiovatto

coracao valente

Dilma coração valente

A discussão mais quente do momento quanto aos direitos autorais diz respeito ao uso da ilustração do autor Sattu Rodrigues pelo PT durante a campanha presidencial de Dilma.

O Tribunal de Justiça de SP pediu a suspensão do uso da ilustração que não foi autorizada pelo seu criador.

Essa matéria foi destaque em vários veículos de comunicação hoje, inclusive com matéria de destaque no site do UOL. Será que o tesoureiro do PT “esqueceu”de pagar pelo uso da ilustração?

http://noticias.uol.com.br/politica/ultimas-noticias/2015/04/29/justica-manda-pt-retirar-ilustracao-de-dilma-usada-sem-autorizacao-na-campanha.htm

 

risque

#homensrisque #fail

A marca Risqué parece não ter agradado o público feminino com a nova coleção “Homens que amamos”. A marca propôs esmaltes com frases como “André fez o jantar”, “Fê mandou mensagem” entre outras, mas sofreu uma avalanche de comentários e percepções negativas.

As consumidoras, de um modo geral, julgaram essas homenagens da marca às atitudes supostamente românticas dos homens como um quê de machismo.

Já outras mulheres se posicionaram à favor da marca, dizendo que o mimimi na internet foi grande porque não há nada de errado admirar gestos masculinos de carinho, como preparar o jantar, mandar flores, entre outros mimos que os homens podem fazer às mulheres.

E vocês, mulheres que estão lendo este post, o que acharam da nova linha de esmaltes? Conte pra gente aqui em comentários.

risque

Por Fabiano Chiovatto

 

 

 

‪#‎aletradaspessoas‬

Esta circulando pelo Facebook uma iniciativa para resgatar a escrita da letra cursiva, visto que neste mundo digital, a tendência é não escrevermos mais nada ou quase mais nada.
Quando eu era pequeno, escrevia cadernos e mais cadernos de caligrafia e adorava rs.

Olha que linda a caligrafia da Claudia Simas, que encontrei no Insta.

a letra

Por Fabiano Chiovatto